domingo, 3 de maio de 2009

Exercícios Romantismo



Exercícios - Romantismo
Lista 1
1. I. Preferência pela realidade exterior sobre a interior.
II. Anteposição da fé à razão, com valorização da mística e da intuição.
III. Poesia descritiva de representação dos fenômenos da natureza. Detalhismo.
IV. Gosto pelo pitoresco, pela descrição de ambientes exóticos.
V. Atenção do escritor aos detalhes para retratar fielmente o que descreve.
Características gerais do Romantismo se acham expressas nas proposições:
II e IV
II e III
I e IV
II e V
2. Não é próprio do Romantismo:
Explorar assuntos nacionais como história, tradições, folclore;
Idealizar a mulher, tornando-a perfeita em todos os sentidos;
Explorar assuntos ligados à antigüidade clássica, imitando-lhe os poetas e prosadores;
Valorizar temas fúnebres e soturnos.
3. De acordo com a posição romântica, é correto afirmar que:
A natureza é expressiva no Romantismo e decorativa no Arcadismo.
Com a liberdade criadora implantada no Romantismo, as regras fixas do Classicismo caem e "o poema começa onde começa a inspiração e termina onde termina esta".
A visão do mundo romântica é centrada no sujeito, no "eu" do escritor, daí a predominância da função emotiva na linguagem do Romantismo.
Todas as alternativas anteriores estão corretas.
4. Poderíamos sintetizar uma das características do Romantismo pela seguinte aproximação de opostos:
Cultivando o passado, procurou formas de compreender e explicar o presente.
Pregando a liberdade formal, manteve-se preso aos modelos legados pelos clássicos.
Embora marcado por tendências liberais, opôs-se ao nacionalismo político.
Voltado para temas nacionalistas, desinteressou-se do elemento exótico, considerando-o incompatível com exaltação da pátria.
5. A visão do mundo, nostálgica nos românticos, explica-se:
Pelas inúmeras guerras havidas na época do Romantismo.
Pela inadaptação aos valores absolutistas implantados pela monarquia brasileira.
Pelo descontentamento da nobreza, que deixa o poder, e de parte da burguesia, que ainda não havia assumido ou que tivesse ficado à margem dele.
Pela contemplação de um Brasil conservador, baseado no latifúndio, no escravismo e na monarquia.
6. "Deus! Oh, Deus! Onde estás que não respondes? Em que mundo, em qu'estrelas tu t'escondes Embuçado no céus? Há dois mil anos te mandei meu grito, Que embalde desde então corre o infinito... Onde estás, senhor Deus?..."
Esta é a primeira estrofe de um poema que é exemplo de:
Lirismo subjetivo, marcado pelo desespero do pecador arrependido.
Lirismo religioso, exprimindo o anseio da alma humana em procura da divindade.
Lirismo romântico de tema político-social, exprimindo o anseio do homem pela liberdade.
Romantismo nacionalista repassado da saudade que atormenta o poeta do exílio.
7. Assinale a alternativa que traz apenas características do Romantismo:
idealismo, religiosidade, objetividade, escapismo, temas pagãos.
predomínio do sentimento, liberdade criadora, temas cristãos, natureza convencional, valores absolutos.
egocentrismo, predomínio da poesia lírica, relativismo, insatisfação, idealismo.
idealismo, insatisfação, escapismo, natureza convencional, objetividade.
8. UM ÍNDIO
"um índio descerá de uma estrela colorida brilhante
de uma estrela que virá numa velocidade estonteante
e pousará no coração do hemisfério sul na américa
num claro instante
(...)
virá
impávido que nem muhammad ali
virá que eu vi
apaixonadamente como peri
virá que eu vi
tranqüilo e infalível como bruce lee
virá que eu vi
o aché do afoxé filhos de ghandi virá"
(Caetano Veloso)
O trecho anterior mostra, com uma visão contemporânea, determinado tipo de tratamento dado ao índio brasileiro em certo período de nossa literatura. Assinale a alternativa em que aparecem os nomes de dois autores que manifestaram tal tendência.
Gonçalves de Magalhães e Álvares de Azevedo
Castro Alves e Tobias Barreto
Fagundes Varella e Visconde de Taunay
Gonçalves Dias e José de Alencar.
9. "A verdadeira poesia deve inspirar-se num entusiasmo natural e exprimir-se com naturalidade, sendo simples, pastoril, bucolicamente ingênua e inocente."
Esta afirmação caracteriza a estética __________ uma vez que exalta elementos ligados à _________, opondo-se ao culto do interior que identifica o ___________.
As lacunas acima deverão ser preenchidas, respectivamente, com os termos:
romântica, natureza, Simbolismo
árcade, civilização, Romantismo
parnasiana, estética, Arcadismo
árcade, natureza, Romantismo
10. Machado de Assis representa a transição entre:
Arcadismo e Romantismo
Barroco e Romantismo
Romantismo e Realismo
Parnasianismo e Simbolismo


Lista 2
1. "Quantas coisas (...) brotam ainda hoje, modas, bailes, livros, painéis, primores de toda casta, que amanhã já são pó ou cisco? Em um tempo em que não mais se pode ler, pois o ímpeto da vida mal consente folhear o livro, que à noite deixou de ser novidade e caiu na voga; no meio desse turbilhão que nos arrasta, que vinha fazer uma obra séria e refletida? Perca pois a crítica esse costume em que está de exigir, em cada romance que lhe dão, um poema."
As proposições anteriores, de José de Alencar, fazem alusão a um problema característico do movimento romântico. Aponte-o:
o movimento romântico, afeito ao lirismo e á sentimentalidade, busca realizar uma prosa fundamentalmente impregnada de valores poéticos
o autor preocupa-se com satisfazer o gosto de um público pouco exigente no que diz respeito a obras de acabamento literário mais sofisticado
tendo em vista a caracterização da sociedade burguesa, o romance deve conter preferencialmente ação, que seja o retrato dos agitados tempos modernos
o autor, já que se reconhece gênio, e pelo público, é aceito como tal e deve nortear as multidões que o lêem com sua palavra sábia e simples
O texto seguinte refere-se às questões 2 e 3.
"O problema da nacionalidade literária foi colocado, dentro da atmosfera do Romantismo, em termos essencialmente políticos. Misturadas literatura e política, a autonomia política transferia-se para literatura, e confundiram-se independência política e independência literária."
2. Segundo o texto, para os românticos:
a autonomia política e a autonomia literária foram duas faces de um mesmo processo de emancipação
autonomia política e autonomia literária mantiveram entre si uma relação de causa e efeito
a autonomia literária sempre se seguiu à emancipação política
emancipação política e emancipação literária foram processos que se concretizaram independentemente um do outro
3. Segundo o texto:
Romantismo foi uma escola literária de atmosfera essencialmente política
no Romantismo, literatura e política interpenetram-se e exercem influência mútua, numa interdependência dialética
pode-se dizer que a política usou a literatura em suas campanhas, mas o inverso não é válido, pois a literatura não se valeu da política
independência política e independência literária são fenômenos distintos, que só se misturam em conseqüência de um erro de interpretação
4. A proposta de divisão dos romances alencarianos baseia-se num critério:
cronológico
temático
estilístico
geográfico
5. Assinale o poema de Gonçalves Dias que não apresenta a temática indianista:
Ainda uma vez - Adeus
I-Juca Pirama
Marabá
Leito de Folhas Verdes
6. O lirismo social da poesia de Castro Alves:
tematiza a liberdade dentro, principalmente, de um enfoque individualista
tematiza a liberdade exclusivamente referenciada ao negro escravizado
tematiza a liberdade tanto com um enfoque individualista como coletivo; e, em especial, referenciada ao negro escravizado
tematizava a liberdade de modo geral, e apenas acidentalmente referenciada ao negro escravizado
7. Poema castro-alivino que não aborda a temática social:
O Livro e a América
Vozes d’África
Ode ao Dous de Julho
n.d.a
8. Qual a alternativa que apresenta grupos de classificação dos romances alencarianos?
urbanos, indianistas, históricos e regionalistas
urbanos, indianistas, históricos e psicológicos
urbanos, indianistas, psicológicos e satíricos
urbanos, históricos, psicológicos e trágicos
9. Assinale a alternativa falsa. O Romantismo:
procura o elemento nacional
propõe ruptura com o passado
foi introduzido no Brasil por Gonçalves de Magalhães
é a valorização do que é "nosso"


Literatura: exercícios sobre o Romantismo - 1º bimestre - turmas de 2ª série do Ensino Médio.

I. - Preferência pela realidade exterior sobre a interior.
II. - Anteposição da fé à razão, com valorização da mística e da intuição.
III.- Poesia descritiva de representação dos fenômenos da natureza. Detalhismo.
IV. - Gosto pelo pitoresco, pela descrição de ambientes exóticos.
V.- Atenção do escritor aos detalhes para retratar fielmente o que descreve.

1 –Assinale a alternativa correta.
Características gerais do Romantismo se acham expressas nas proposições:
( ) a) II e IV
( ) b) II e III
( ) c) I e IV
( ) d) II e V

___________________________________
2 - Machado de Assis representa a transição entre:
( ) a)Arcadismo e Romantismo
( ) b)Barroco e Romantismo
( ) c)Romantismo e Realismo
( ) d)Parnasianismo e Simbolismo

____________________________________
3 - Assinale a alternativa que traz apenas características do Romantismo:
( ) a)idealismo, religiosidade, objetividade, escapismo, temas pagãos.
( ) b) predomínio do sentimento, liberdade criadora, temas cristãos, natureza convencional, valores absolutos.
( ) c) egocentrismo, predomínio da poesia lírica, relativismo, insatisfação, idealismo.
( ) d)idealismo, insatisfação, escapismo, natureza convencional, objetividade.

____________________________________
4 - (UNIP-SP) Assinale a alternativa não-aplicável à poesia romântica;
( ) a) O artista goza de liberdade na metrificação e na distribuição rítmica.
( ) b) O importante é o culto da forma, a arte pela arte.
( ) c) A poesia é primordialmente pessoal, intimista e amorosa.
( ) d) Enfatiza-se a auto-expressão, o subjetivismo, o individualismo.
( ) e) A linguagem do poeta é a mesma do povo: simples, espontânea.

_____________________________________
5- (UFSE-SE) No período romântico brasileiro, os aspectos estéticos e os históricos ligaram-se de modo especialmente estreito e original: entre nós, o Romantismo deu expressão à consolidação da independência, à afirmação de uma nova Nação e à busca das raízes históricas e míticas de nossa cultura — características que se encontram amplamente
( ) a) na poesia de Gonçalves de Magalhães influenciada pela de Gonçalves Dias.
( ) b) nos romances urbanos da primeira fase de Machado de Assis.
( ) c) nos romances de costumes de Joaquim Manuel de Macedo.
( ) d )na lírica confidencial de Álvares de Azevedo e de Casimiro de Abreu.
( ) e) na ficção regionalista e indianista de José de Alencar.

___________________________
Gabarito:
1-a / 2-c / 3-c / 4-b / 5-e
A) TEXTO / QUESTÕES:
Além, muito além daquela serra, que ainda azula no horizonte, nasceu Iracema.
Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna (1) e mais longos que seu talhe de palmeira.
O favo da jati (2) não era doce como seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado.
Mais rápida que a ema selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do Ipu (3), onde campeava sua guerreira tribo, da grande nação tabajara (4). O pé grácil e nu, mal roçando, alisava apenas a verde pelúcia que vestia a terra com as primeiras águas.
Um dia, ao pino do sol, ela repousava em um claro da floresta. Banhava-lhe o corpo a sombra da oiticica (5), mais fresca do que o orvalho da noite. Os ramos da acácia silvestre esparziam flores sobre os úmidos cabelos. Escondidos na folhagem os pássaros ameigavam o canto.
Iracema saiu do banho: o aljôfar d’água ainda o roreja, como à doce mangaba que corou em manhã de chuva. Enquanto repousa, empena das penas do gará (6) as flechas de seu arco, e concerta com o sabiá da mata, pousado no galho próximo, o canto agreste.
A graciosa ará (7) sua companheira e amiga, brinca junto dela. Às vezes sobe aos ramos da árvore e de lá chama a virgem pelo nome, outras remexe o uru (8) de palha matizado, onde traz a selvagem seus perfumes, os alvos fios do crautá (9), as agulhas da juçara (10) com que tece a renda, e as tintas de que matiza o algodão.
Rumor suspeito quebra a doce harmonia da sesta. Ergue a virgem os olhos, que o sol não deslumbra; sua vista perturba-se.
(Iracema - José de Alencar)
(1) é o pássaro conhecido de cor negra luzidia. Seu nome vem por corrupção de guira - pássaro; e una abreviação de pixuna-preto. (Nota do Autor).
(2) pequena abelha que fabrica delicioso mel. (Nota do Autor)
(3) chamam ainda hoje no Ceará certa qualidade de terra muito fértil, que forma grandes coroas ou ilhas no meio dos tabuleiros o sertões, e é de preferência procurada para a cultura. Daí se deriva o nome dessa comarca da província. (Nota do Autor)
(4) senhor das aldeias, de taba - aldeia e jara - senhor. Essa nação dominava o interior da província, especialmente a Serra da lbiapaba. (Nota do Autor)
(5) árvore frondosa, apreciada pela deliciosa frescura que derrama sua sombra. (Nota do Ator).
(6) ave paludal, muito conhecida pelo nome de guará. Penso eu que esse nome anda corrompido de sua verdadeira origem, que é ig-água, e ará - arara: arara d'água, assim chamada pelo bela cor vermelha. (Nota do Autor)
(7) periquito. Os indígenas como aumentativo usavam repetir a última sílaba da palavra e às vezes toda a palavra, como murémuré. Muré - frauta, murémuré - grande frauta. Arará vinha a ser, pois, o aumentativo de ará, e significaria a espécie maior do gênero. (Nota do Autor).

A partir da leitura do fragmento da obra Iracema, responda:
1) Qual a realação da personagem principal com a natureza. Dê exemplos do texto.
2) A descrição da personagem aponta para características românticas? Justifique om o próprio texto.
3) No último parágrafo, ela o homem branco. Qual a relação romântica entre o índio e o homem branco.

B) TESTES:
Relacione os textos às características:
Texto A________________________________

“Eu amo a noite taciturna e queda!
Amo a doce nudez que ela derrama,
E a fresca aragem pelas densas folhas
Do bosque murmurando.
Então malgrado o véu que envolve a terra,
A vista, do que vela, enxerga mundos,
E apesar do silêncio, o ouvido escuta
notas de etéreas harpas."
Gonçalves Dias
Texto B________________________________

"Já sinto a geada dos sepulcros
o pavoroso frio enregelar-me...
A campa vejo aberta e lá no fundo
Um esqueleto em pé vejo acenar-me..
Entremos. Deve haver nestes lugares
mudança grave na mundana sorte;
Quem sempre a morte achou no lar da vida,
Deve a vida encontrar no lar da morto.”
Laurindo Rabelo
Texto C________________________________

"Não achei na vida amores
Que merecessem os meus.
Não tenho um ente no mundo
A quem diga o meu-adeus.
Não posso da vida à campa
Transportar uma saudade.
Cerro meus olhos contente
Sem um ai de ansiedade.
Por isso, ó morte, eu amo-te e não temo:
Por ísso, ó morte, eu quero-te comigo.
Leva-me à região da paz horrenda
Leva-me ao nada, leva-me contigo."
Junqueira Freire


Texto D________________________________

“Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques, têm mais-vida,
Nossa vida mais amores.
Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar - sozinho, à noite -
Mais prazer encontro eu lá,
Minha terra tem palmeiras
Onde canta o Sabiá
Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá,
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o sabiá.”
Gonçalves Dias
Texto E________________________________

“Passei como D. Juan entre as donzelas,
Suspirei as canções mais doloridas
E ninguém me escutou...
Oh! nunca à virgem flor das faces belas
Sorvi o mel nas longas despedidas...
Meu Deus! ninguém me amou!
..................................................................
Vivi na solidão - odeio o mundo
E no orgulho embucei meu rosto pálido
Como um astro na treva...
Senti a vida um lupanar imundo -
Se acorda o triste profanado, esquálido
--- A morte fria o leva.”
Álvares de Azevedo
Texto F________________________________

“Minh'alma é triste como a flor que morre
Pendida à beira do riacho ingrato.
Nem beijos dá-lhe a viração que corre,
Nem doce canto o sabiá do mato!
E como a flor que solitária pende
Sem ter carícias no voar da brisa,
Minh'alma murcha, mas ninguém entende
Que a pobrezinha só de amor precisa!”
Casimiro de Abreu
Textos Características
A ( ) (l) Saudosismo
B ( ) (2) Evasão pela morte
C ( ) (3) Consciêncía de solidão
D ( ) (4) Imaginação criadora, fantasia
E ( ) (5) Sonoridade
F ( ) (6) Indianismo (evasão pelo tempo)

Sem comentários:

Loading...